Quantas e quantas vezes não foi pego na máquina de pedal da bisavó…

Aos 11 anos, aprendeu com a avó e a tia costureira o ofício de criar um espetáculo com linhas e tecidos. O precoce e valioso aprendizado direcionou Betio ao requinte e à exigência constante pelos melhores acabamentos.

Na escola, criava figurinos para exercitar a criatividade e partilhar conhecimento. E, com 14 anos, já produzia fantasias para grupos teatrais da cidade e desenhava roupas para casas de costura. Aumentou, então, seu interesse por peças mais elaboradas e segmentadas para o mercado de festas.

Quando completou 18 anos, decidiu estudar Design de Moda no Centro Universitário Senac, em São Paulo. Desenvolveu inúmeras criações como figurinista e, em seguida, lançou-se no mercado de festas como assistente de moulage na Samuel Cirnansk, onde, após um curto período, já era um dos chefes de produção.

Betio passou também pela Daslu a convite do estilista Sandro Barros, responsável pela ‘Daslu Couture’ – linha de vestidos de festa da marca. Na empresa, chegou ao posto de gerente de produção e moulage, cargo que continuou ocupando quando seguiu para o atelier próprio de Sandro Barros com a empresária Renata Queiroz de Moraes.

Aos 26 anos, criou sua própria marca, a ‘André Betio’, que aposta em um estilo extremamente exclusivo e preza pelos detalhes. Afinal, a roupa é uma das mais fortes expressões de qualquer personalidade.

“Tive muita sorte! Eu sempre soube o que eu queria. E sou muito grato à vida por ter encontrado oportunidades e mentores magníficos para me direcionar e, que, ainda me ajudam a fazer este sonho presente.”